O Brasil já ultrapassou os 6 gigawatts (GW) de capacidade instalada de energia solar

O Brasil já ultrapassou os 6 gigawatts (GW) de capacidade instalada de energia solar, sendo 2,9 GW de geração centralizada e 3,1 GW de geração distribuída, informou a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).

Desde 2012, a fonte solar acumula investimentos de R$ 32 bilhões e gerou cerca de 180 mil empregos. Até 2025, a geração solar centralizada possui projetos já contratados em leilões do governo da ordem de R$ 25,8 bilhões.

Um dos motivos do crescimento da fonte no País se deve à redução de preços ao longo dos últimos anos, que tornou a fonte competitiva.

Fonte: https://www.istoedinheiro.com.br/energia-solar-ultrapassa-6-gw-de-capacidade-instalada-no-brasil/

Fonte Solar será mais competitiva em um cenário pós-pandemia.

Fique Por Dentro:

A perspectiva de aumento no valor da tarifa de energia elétrica e de uma variação cambial mais controlada tende a melhorar a competitividade da fonte solar em um cenário pós-pandemia, avalia o diretor comercial da MTEC Energia, Daniel Luiz Sebben. “A Aneel [Agência Nacional de Energia Elétrica] aprovou um plano de socorro às distribuidoras. Esse tipo de ajuda normalmente sai do bolso do consumidor e se reflete no próximo ciclo tarifário. Com um cenário de câmbio normalizado, com o dólar mais próximo a R$ 5, a competitividade da fonte solar só vai aumentar.” O executivo se refere a autorização da Aneel para que a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) faça o repasse para distribuidoras e consumidores livres de cerca de R$ 207 milhões referentes ao fundo de reserva para alívio futuro de encargos. De acordo com a reguladora, a ação visa reforçar a liquidez do setor elétrico em meio ao cenário de pandemia de coronavírus.

Sebben entende que o consumidor verá na geração solar distribuída uma alternativa para obter maior autonomia. “É uma forma de não ficar refém da distribuidora e dar maior protagonismo ao cliente. Vejo a competitividade da fonte crescendo e a mais pessoas mais interessadas, se informando mais.” Confira a matéria completa no
Portal Solar:

Fonte solar será mais competitiva em um cenário pós-pandemia, avalia MTEC

Energia Solar cresce e conquista cada vez mais mercado no Brasil.

A energia solar cresce e conquista cada vez mais mercado no Brasil.

Grande empresas constatam, além de colaborar com um mundo mais sustentável, grande empresas tem avaliado o custo benefício do investimento como uma excelente opção financeira. Veja o exemplo da Inframerica, concessionária do Aeroporto de Brasília, que está na fase final da construção de uma usina solar fotovoltaica que servirá para abastecer parte do consumo do terminal aéreo. As obras tiveram início em janeiro deste ano e a usina deverá começar a operar em julho.

A concessionária dedicou uma área de 18,3 mil metros quadrados para o empreendimento, próximo ao acesso ao aeroporto. Espera-se que os 3.360 módulos instalados produzam, por ano, 2 milhões kWp de energia, que suprirá 7% da demanda do aeroporto. Parece pouco? Pois saiba, esta carga energética é capaz de abastecer 1.462 casas populares, por exemplo.
E mais, as práticas de sustentabilidade adotadas pelo Aeroporto de Brasília foram reconhecidas na 1ª edição do Projeto Aeródromos Sustentáveis da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). O terminal brasiliense conquistou o selo de Aeródromo Sustentável nível avançado, sendo um dos quatro únicos dentre os 23 aeródromos avaliados na pesquisa.

Fonte:

Aeroporto de Brasília instala usina solar

Energia Solar ultrapassa 6GW no Brasil.

O Brasil acaba de ultrapassar os 6 gigawatts (GW) de capacidade instalada de energia solar, sendo 2,9 GW de geração centralizada e 3,1 GW de geração distribuída, informou a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).

Desde 2012, a fonte solar acumula investimentos de R$ 32 bilhões e gerou cerca de 180 mil empregos. Até 2025, a geração solar centralizada possui projetos já contratados em leilões do governo da ordem de R$ 25,8 bilhões.

Um dos motivos do crescimento da fonte no País se deve à redução de preços ao longo dos últimos anos, que tornou a fonte competitiva.

Fonte: https://www.istoedinheiro.com.br/energia-solar-ultrapassa-6-gw-de-capacidade-instalada-no-brasil/

Energia solar crescerá mais de 8% em uma década

Fontes de energia baseadas em carbono zero ultrapassaram os combustíveis fósseis se tornando a maior fonte de energia no Reino Unido em um ano.

Esse ano será o primeiro em que os combustíveis fósseis atingiram menos da metade da eletricidade gerada, de acordo com o National Grid, seguindo o dramático declínio da geração à carvão e o crescimento das energias renováveis e de baixa emissão de carbono.

As residências e empresas no Reino Unido irão aderir a energias mais limpas geradas por parques eólicos, painéis solares, hidrelétricas e energia nuclear.

Uma década atrás, usinas termelétricas a carvão geraram quase um terço da eletricidade consumida no país, mas na primeira metade desse ano, essa fonte de energia caiu para apenas 3% de toda eletricidade gerada. No mesmo período, energias renováveis subiram de apenas 2% da geração total para um quinto de toda eletricidade produzida.

Um “ponto de virada” é um “marco histórico” para a jornada do Reino Unido para se tornar uma economia com emissão zero de carbono até 2050, conforme o National Grid. Fonte: The Guardian

Fontes de energia baseadas em carbono zero ultrapassaram os combustíveis fósseis se tornando a maior fonte de energia no Reino Unido em um ano.

Esse ano será o primeiro em que os combustíveis fósseis atingiram menos da metade da eletricidade gerada, de acordo com o National Grid, seguindo o dramático declínio da geração à carvão e o crescimento das energias renováveis e de baixa emissão de carbono.

As residências e empresas no Reino Unido irão aderir a energias mais limpas geradas por parques eólicos, painéis solares, hidrelétricas e energia nuclear.

Uma década atrás, usinas termelétricas a carvão geraram quase um terço da eletricidade consumida no país, mas na primeira metade desse ano, essa fonte de energia caiu para apenas 3% de toda eletricidade gerada. No mesmo período, energias renováveis subiram de apenas 2% da geração total para um quinto de toda eletricidade produzida.

Um “ponto de virada” é um “marco histórico” para a jornada do Reino Unido para se tornar uma economia com emissão zero de carbono até 2050, conforme o National Grid. Fonte: The Guardian

Esclarecimentos do reembolso do ICMS

A repercussão da matéria veiculada sobre restituição do ICMS pago nas contas de energia elétrica causou uma grande corrida dos consumidores às empresas fornecedoras e às defensorias públicas, buscando reaver o montante que foi pago e, no entendimento atual do STF, foi considerado uma cobrança ilegal.

No entanto, a Defensoria Pública do Ceará pede cautela com relação ao caso, visto que, o Supremo Tribunal Federal ainda tomará uma decisão definitiva sobre essa causa, logo o reembolso ainda não está garantido, portanto todos os processos para restituição do valor pago estão suspensos por agora.

É importante salientar ainda que o valor do ICMS que foi pago às empresas fornecedoras foi repassado ao Estado, que é quem deve ser demandado em um processo judicial. Fonte: Diário do Nordeste

A geração distribuída atinge a marca de 1 GW

A adesão a energias renováveis está se tornando uma constate positiva no país. Fatores como a economia e a sustentabilidade têm feito com que cada vez mais consumidores optem pelas fontes de energia alternativa, buscando a independência energética. Esse fenômeno pode ser constatado pelos dados divulgados pela Aneel no último dia 11, em que mostram que o país ultrapassou a marca de 1 gigawatt de potência instalada em micro e minigeração distribuída de energia elétrica.

Segundo os relatórios da Aneel, A fonte mais utilizada para micro e minigeração distribuída é a solar fotovoltaica, com 82,6 mil micro e mini usinas e cerca de 870 MW de potência instalada, seguida pela produção por centrais geradoras hidrelétricas, com 86 usinas e 81,3 MW.
Os estados que mais aderiram à micro e à minigeração, superando 10 mil unidades consumidoras, foram Minas Gerais (16,7 mil unidades de geração e 212,3 MW de potência instalada), Rio Grande do Sul (12 mil unidades, 144,4 MW) e São Paulo (14,5 mil unidades, 117,4 MW). Ao todo, existem 82,9 mil usinas geradoras no país, com 114,3 mil unidades consumidoras que recebem os créditos pela energia gerada.

Para o diretor-geral do órgão regulador, André Pepitone, a marca histórica é fruto do trabalho da Agência para viabilizar o empoderamento do consumidor no setor. “Como reguladores, nos preocupamos em manter o equilíbrio do sistema, sempre tendo em vista a incorporação de novas tecnologias. A geração distribuída equivale, no setor elétrico à revolução do smartphone nas telecomunicações”, comentou.
Fonte: Aneel

ECO ENERGIA na China!

A Eco embarcou em uma missão para a China juntamente com o grupo G5 Solar e a WEG Solar. Uma missão sobre inovação, conhecimento e troca de experiências no país que é o maior fabricante de painéis solares do mundo.

Restituição de ICMS

O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) também compõe o valor das contas de energia de consumidores de todo o país. No entanto, essa cobrança vem sendo questionada. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) ainda dará uma decisão definitiva sobre a questão, mas os valores pagos indevidamente já podem ser ressarcidos se questionados na justiça.

Qualquer pessoa física ou jurídica que tenha consumido energia elétrica nos últimos cinco anos esteve sujeito a essa cobrança a maior do imposto poderá buscar reaver o valor indevidamente desembolsado. Fonte: Diário do Nordeste